Desenvolvimento e caracterização de sondas fluorescentes derivadas de BODIPY para aplicação em bioconjugação com proteínas

Nome: Vanessa Gobbi Amorim
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 09/12/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Juliana Barbosa Coitinho Goncalves Co-orientador
Lucas Cunha Dias de Rezende Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
André Romero da Silva Examinador Interno
Bianca Prandi Campagnaro Examinador Externo
Juliana Barbosa Coitinho Goncalves Coorientador
Lucas Cunha Dias de Rezende Orientador

Resumo: A fluorescência faz parte de um fenômeno de emissão de luz por corpos frios, conhecido como luminescência, sendo muito utilizada na análise e detecção de substâncias, doenças e outros processos. A sua aplicação demanda a utilização de compostos capazes de absorver a luz e emiti-la na forma de fluorescência em comprimentos de ondas diversos. No entanto, apenas poucos compostos possuem fluorescência natural sendo que em muitas análises por fluorescência se faz necessária a adição de sondas fluorescentes. Dependendo da aplicação específica da sonda fluorescente, grupos funcionais podem ser inseridos na sua estrutura. Neste trabalho, visando o desenvolvimento de sondas fluorescentes para bioconjugação com proteínas, foram utilizados dois compostos da classe dos borodipirrometenos (BODIPY), funcionalizados com o grupo isotiocianato. Para tanto, foram realizados experimentos de espectrofotometria e espectrofluorimetria para avaliar as propriedades fotofísicas das sondas fluorescentes desenvolvidas. A aplicabilidade das sondas fluorescentes em bioconjugação foi testada utilizando a albumina bovina sérica como proteínas modelo. Os produtos da bioconjugação foram caracterizados por espectrofotometria, espectrofluorimetria e SDS-PAGE. Além disso, foi realizado um teste preliminar para avaliar uma possível aplicação do fluoróforo com a conjugação em um anticorpo primário em um ensaio imunofluorescente por Western Blotting. Os resultados de bioconjugação se mostraram promissores, no qual verificou- se que os dois compostos usados no estudo possuem capacidade de se conjugar com a proteína e emitirem fluorescência. Além disso, foi verificada a interferência da ligação tiouréia formada após conjugação de cada composto com a albumina bovina sérica na intensidade de fluorescência, levando a redução da mesma. No ensaio Western Blotting foi observado que houve conjugação com o anticorpo e marcação da proteína escolhida, todavia se tratou de um teste inicial que deve ser padronizado. Os resultados do presente trabalho representam um avanço na aplicação funcional de BODIPY gerando perspectivas de novas prospecções quanto a sua utilização molecular.

Palavras chave: BODIPY, fluorimetria, isotiocianato, tiouréia, albumina.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105