O potencial efeito do ambiente enriquecido na melhora da memória espacial de referência e de trabalho, e correlação com o estresse oxidativo em animais adolescentes expostos à cocaína.

Resumo: O Brasil é o segundo maior mercado de cocaína do mundo em números absolutos de usuários, esse fato é alarmante para a Saúde Pública e para a sociedade como um todo. Adolescentes e jovens adultos compõem um grupo de maior vulnerabilidade ao vício em drogas de abuso, tanto socialmente quanto biologicamente, devido à imaturidade de certas regiões do cérebro que ainda estão em processo de consolidação. Diante disto, faz-se necessário um estudo mais aprofundado sobre os impactos do vício no processo de formação do adolescente, visando elucidar em pormenores a extensão das modificações causadas pela cocaína que podem alterar a cognição por toda a vida do indivíduo.
Estudos com o contexto do ambiente enriquecido mostraram que um ambiente rico em estímulos durante as fases tenras do indivíduo é capaz de reduzir os efeitos comportamentais, neuroquímicos e moleculares induzidos pelo uso da cocaína. Propõe-se, portanto, o uso do ambiente enriquecido para avaliar seu potencial neuroprotetor nas memórias espacial de referência e de trabalho, e avaliar possíveis danos à cognição gerados pelo estresse oxidativo e como o ambiente irá influenciar nesse fator.

Data de início: 2020-01-10
Prazo (meses): 60

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Rita Gomes Wanderley Pires
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105