Efeitos do enriquecimento ambiental e do exercício físico sobre diferentes parâmetros comportamentais e bioquímicos de animais submetidos ao estresse neonatal.

Resumo: Estudos demonstram que eventos traumáticos no período perinatal são potenciais desencadeadores de psicopatologias na vida adulta, e a separação maternal de ratos tem sido amplamente utilizada como um modelo neonatal de indução de transtornos psiquiátricos. O presente projeto propõe a investigação dos efeitos do enriquecimento ambiental e do exercício físico moderado quando aplicados em animais submetidos à separação maternal, visando estabelecer estratégias não farmacológicas para prevenção dos efeitos da separação maternal sobre parâmetros comportamentais e neuroquímicos na vida adulta. Para isso, serão utilizadas ninhadas de ratos Wistar, padronizadas em 8 animais por ninhada, que serão submetidas a um protocolo de separação maternal (3hs diárias, do 2º ao 21º dia pós-natal – DPN). Após o desmame, esse animais serão organizados em grupos, submetidos ou não ao enriquecimento ambiental ou ao exercício físico moderado. O enriquecimento ambiental será realizado pela exposição diária a um ambiente com diferentes estímulos, por um período de 10 semanas, iniciando no DPN 22. O exercício físico será realizado diariamente, em uma esteira para locomoção de ratos, por um período de 8 semanas, iniciando no DPN 35. Na idade adulta, os animais serão submetidos a diversos testes comportamentais: teste de preferência pelo consumo de etanol, preferência de lugar condicionada pela morfina e de preferência pelo consumo de sacarose, teste de reconhecimento de objetos, avaliação do comportamento alimentar, e testes do labirinto em cruz elevado, labirinto em T elevado e exposição ao odor do gato. Um outro grupo será submetido, na idade adulta, a um modelo de estresse crônico moderado, a partir do que avaliaremos se a separação maternal aumenta a vulnerabilidade neuroquímica (através de medidas de estresse oxidativo) dos animais ao estresse, bem como se o enriquecimento ambiental e o exercício físico são capazes de reverter esses efeitos.

Data de início: 2013-08-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Rafaella Vila Real Barbosa
Aluno Mestrado Laisa Barroso Ribeiro
Colaborador Athelson Stefanon Bittencourt
Coordenador Ana Paula Santana de Vasconcellos Bittencourt
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105