INFLUÊNCIA DA MODULAÇÃO DO SISTEMA ENDOCANABINÓIDE SOBRE COMPORTAMENTOS DE ANSIEDADE INDUZIDOS PELA SEPARAÇÃO MATERNAL

Resumo: Um número crescente de evidências indica que eventos traumáticos no período perinatal são potenciais desencadeadores de psicopatologias na vida adulta. A exposição a eventos adversos no inicio da vida contribuem para alterações em respostas comportamentais e em circuitos do SNC. Essas alterações são evidenciadas em diversos protocolos de separação maternal, que podem variar desde poucos minutos até 6 horas diárias, durante os primeiros dias de vida, ou mesmo um único e contínuo período de 24 horas de privação maternal. Dentre as consequências da exposição precoce ao estresse, podemos destacar a maior vulnerabilidade ao desenvolvimento de patologias como transtornos de ansiedade. Muitos esforços têm sido empregados na tentativa de elucidar componentes neurobiológicos envolvidos nos transtornos da ansiedade. Diversos estudos confirmam o envolvimento do sistema serotoninérgico sobre comportamentos de ansiedade. Por outro lado, o neurotransmissor GABA, exerce sua ação inibitória sobre áreas encefálicas envolvidas nas respostas defensivas. Além disso, o sistema endocanabinóide, por meio de seus receptores, atua mediando respostas tanto serotoninérgicas quando gabérgicas, modulando comportamentos influenciados por esses sistemas. A presença de receptores canabinóides em regiões cerebrais que estão implicadas na modulação das respostas relacionadas à ansiedade, contribuem para a investigação do papel do sistema endocanabinóide na modulação da ansiedade e poucos estudos relatam os efeitos provocados pela separação maternal no sistema endocanabinóide. Desta forma, o presente trabalho, propõe avaliar a influência da modulação do sistema endocanabinóide sobre comportamentos de ansiedade induzidos pela separação maternal. Inicialmente será comparado o comportamento de animais submetidos a diferentes protocolos de separação maternal em testes de ansiedade: LTE e CA, em seguida, serão avaliados os efeitos do agonista e antagonista do sistema endocanabinóide, sobre o comportamento de ansiedade em animais submetidos a diferentes protocolos de separação maternal, também nos testes: LTE e CA , e por fim, será verificado se o pré-tratamento com antagonista do sistema endocanabinóide, altera os resultados obtidos com o agonista, nos testes: LTE e CA.

Data de início: 2016-01-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem crescente Nome
Vice-Coordenador Athelson Stefanon Bittencourt
Coordenador Ana Paula Santana de Vasconcellos Bittencourt
Aluno Mestrado Randriely Merscher Sobreira de Lima
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105