Comparação entre protocolos de cultivo de células tridimensional (3D) e bidimensional (2D) de linhagem de câncer de mama para a avaliação de citotoxicidade

Resumo: São estimados para 2018 cerca de 18,1 milhões de novos casos de câncer no mundo e cerca de 9,6 milhões de mortes ocasionadas pela doença, segundo estatísticas internacionais. Destacam-se em números as estimativas para os cânceres de pulmão (cerca de 2,1 milhões), mama (cerca de 2,1 milhões), colorretal (cerca de 2,0 milhões) e de próstata (cerca de 1,3 milhões. No que concerne ao câncer de mama, apesar das várias opções terapêuticas disponíveis, existem muitas barreiras enfrentadas no tratamento, como os muitos efeitos adversos, e a quimioresistência que pode gerar recidiva da doença, afetando assim a sobrevida global das pacientes. Assim, apesar dos avanços e esforços empregados, o câncer de mama, bem como vários outros tipos de cânceres, permanece um desafio para a medicina. As estimativas de novos casos continuam aumentando e a resistência ao tratamento é frequentemente observada. Além da busca por alternativas menos agressivas, potentes e que geram menos resistência aos pacientes, as pesquisas que visam ao desenvolvimento de novas terapias oncológicas encontram o desafio de superar as adversidades do microambiente tumoral O cultivo de células é uma importante ferramenta de pesquisa nos laboratórios do mundo inteiro. A cultura de células em monocamada (ou bidimensional – 2D), inicialmente desenvolvida, possibilitou descobertas importantes sobre proliferação celular, diferenciação e função in vitro. No entanto, a experiência das células em cultura 2D proporciona uma cultura com característica plana que não reflete a complexidade dos tecidos 3D dentro do corpo. Para melhor mimetizar o microambiente tumoral in vitro, a cultura celular tridimensional (3D) é uma boa opção. Os modelos 3D in vitro são mais representativos em relação aos mecanismos moleculares e celulares, facilitando o desenvolvimento e a triagem de novas terapias antitumorais, pois recriam a arquitetura do tecido tumoral bem como sua heterogeneidade celular. Nesse contexto, a implantação de modelos de cultivo de células que melhor mimetizem o crescimento tumoral in vivo no laboratório, contribui para o aperfeiçoamento dos estudos na área oncológica. O presente estudo tem por objetivo comparar protocolos de cultivo de células tridimensional (3D) e bidimensional (2D) de linhagem de câncer de mama, a fim de estabelecer o que melhor se adequa em termos aplicabilidade, efetividade e custo a estudos de avaliação de citotoxicidade.

Data de início: 2019-03-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador RENATA DALMASCHIO DALTOÉ
Pesquisador Klesia Pirola Madeira
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105